Secretaria de Cultura
Patrimônio Cultural


Introdução

História

Mapa histórico

Programação anual

Memória e pesquisa

Voltar

 

 

Patrimônio Cultural
História

1 - Síntese histórica:





2 – Símbolos do Município:



O Escudo sanítico entra na heráldica brasileira lembrando a raça latina. A coroa mural, que a sobrepõe, representa a Comarca. É de prata e sintetiza os nobres sentimentos de seu povo. O escudente lembra o nome de Conselheiro Lafayette, agraciado pelo saber e pelas comendas das ordens da Grã Cruz de Cristo da Rosa.

A cor vermelha ressalta o amor cívico e o valor de sua gente. O terrado da sinopia, em aspecto montanhoso, é verde e circuncidado pelo arroz e pelo milho - suas riquezas agrícolas, sustentados pelas engrenagens dos malhos da indústria extrativa, fator principal de seu progresso.

Finalmente, o nome da cidade, Conselheiro Lafaiete, que ostenta as datas de 1790 e 1866, respectivamente, da sua elevação a município e a Comarca.


"A bandeira tem tradição heráldica portuguesa"

A bandeira do município de Conselheiro Lafaiete, de autoria do heraldita Arcinoé Antonio Peixoto de Faria, da Enciclopédia Heráldica Municipal, é enquartelada em cruz, sendo os quartéis verdes constituídos por quatro faixas brancas sobre faixas vermelhas, dispostas duas a duas no sentido horizontal e vertical, e que partem dos vértices de um losango branco, onde o brasão municipal é aplicado.

O estilo da bandeira obedece à tradição heráldica portuguesa, da qual herdamos os cânones e regras, com direito a opção pelos estilos sextavados, enquartelados em cruz, ou em sautor e terciado, sem destes ter adotado o estilo enquartelado em cruz, lembrando nesse simbolismo o espírito cristão do povo de Conselheiro Lafaiete.

O brasão ao centro simboliza o Governo Municipal e o losango onde é aplicado, representa a própria cidade - sede do município. As faixas simbolizam o Podes Municipal, que se expande a tos os quadrantes do território e os quartéis, assim constituídos, representam as propriedades rurais existentes no território municipal.

As cores da bandeira municipal, ainda em conformidade com a tradição heráldica portuguesa, devem ser as mesmas constantes do campo escuro do brasão.



3 – Calendário Histórico: (cópia das datas / linha do tempo histórico)

1ª Fase – de 1681 até 1899

1681 – Os primeiros bandeirantes paulistas defrontam-se com os índios Carijós, de nossa terra.
1683 – O local recebe a denominação de aldeia de Campo Alegre dos Carijós.
1709 – Ergue-se a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, só concluída muitas décadas depois.
1711 – São entregues as primeiras cartas de Sesmaria a Jerônimo Pimentel Salgado e Amaro Ribeiro. Aí, foram demarcadas as primeiras fronteiras do futuro município.
1752 – O vigário Simão Caetano de Morais Barreto, toma posse como primeiro sacerdote da Matriz.
1752 – Criação do Distrito de Queluz, na Aldeia dos Carijós.
1758 – Erguida a terceira capela, a de Santo Antonio.
1790 – 19 de ssetembro; por ato de D. Maria Primeira, rainha de Portugal, através do governador da capitania, Visconde de Barbacena, é criada a Real Villa de Queluz, com sua total emancipação territorial, política, legislativa e judiciária.
1790 – Instalação a primeira Câmara Municipal da Vila, em 19 de setembro.
1792 – Na rua Direita, defronte onde hoje está o Comercio Mario Zebral, em um antigo armazém, é colocada nova, salmora nos baris que continham a cabeça e a perna de Tiradentes, que iriam ficar expostas na Estalagem da Varginha e em Vila Rica.
1795 – É inaugurado o grande relógio da Matriz o primeiro relógio público da Vila.
1822 – Dom Pedro I visita a Real Villa de Queluz, em sua luta pela Independência do Brasil.
1833 – Dia 30/06 foi criada a Comarca da Real Villa de Queluz.
1834 – Nasceu na fazenda dos Macacos, o Conselheiro Lafayette Rodrigues Pereira, patrono da cidade, no dia 28 de março.
1842 – Inauguração a primeira agência nos Correios na Vila.
1842 – Revolução Constitucionalista – Grandes combates são travados na Vila de Queluz, entre os legalista, comandados por Grandes combates são travados na Vila de Queluz, entre os legalista, comandados por Caxias, sob o comando de Galvão.
1844 – Fundada a Guarda Nacional de Queluz.
1848 – Joaquim Antão Fernandes Leão, deputado, é nomeado ministro de D. Pedro I.
1854 – José Ignácio Gomes Barbosa, Barão de Suassuí, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1865 – Construída a grande fonte, no bairro Fonte Grande.
1866 – A Real Villa de Queluz, passa a ser denominada de cidade de Queluz, através da lei nº 1276, de 02 de janeiro, assinada pelo então governador da Província de Minas Gerais, Joaquim Saldanha Marinho.
1875 – Joaquim Lourenço Baeta Neves, Barão de Queluz, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1876 – José Albino de Almeida Cyrino, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1877 – É inaugurado o prédio da cadeia, na Praça Tiradentes, prédio onde funciona o Museu.
1881 – O barão de Queluz, instala no Largo da Matriz, o Chafariz, inaugurando o serviço de água potável da cidade.
1881 – Dr. Francisco Neto, Barão de Coromandel, é eleito presidente da Câmara Municipal, assumindo depois a presidência do Estado de Minas Gerais, então Província.
1883 – Inaugurada a estação de Lafayette da Estrada de Ferro D. Pedro II.
1885 – Fundada a primeira banda de música em Queluz, a Sociedade de Santa Cecília.
1885 – Fundada o primeiro grupo de teatral na cidade: Grêmio Familiar Queluzense.
1887 – Instalada na cidade a iluminação pública a gás acetileno, pela Câmara Municipal.
1887 – Inauguração do Cemitério Nossa Senhora da Conceição.
1889 – Criada Loja Maçônica Estrela de Queluz.
1890 – Cel Arthur Nascimento, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1894 – Fundado por Luiz Alves F. Leite, o primeiro jornal da cidade, intitulado "O Hóspede", logo depois, "Queluz de Minas", do mesmo diretor.
1894 – Construído o prédio do teatro Santa Cecília, o primeiro e único seu gênero na cidade .
1895 – Fundada a sociedade de São Vicente de Paula.
1896 – Aprígio Pinto de Andrade, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1899 – É inaugurada a estação ferroviária de Gagé, cujas solenidades foram abrilhantadas já pela Banda Santa Cecília.

2ª Fase – de 1900 até 1948

1903 – É exibido pela primeira vez na cidade, um filme cinematográfico, no Teatro Santa Cecília.
1905 – Inaugurado o Colégio Nossa Senhora de Nazaré.
1906 – Fundado o grupo Espírita Paz.
1906 – Entra em atividade a primeira funerária da cidade, pertencente à Matriz.
1907 – Instalaçõa do Fórum, no antigo solar da praça Barão de Queluz.
1908 – Fundada a Santa Casa de Misericórdia, atual Hospital de Queluz.
1908 – Edificada a primitiva Capela de São Sebastião.
1909 – Inauguração do primeiro Prado de Corridas de Cavalos em Queluz, onde hoje é a Av. Furtado.
1910 – Inaugurado o Grupo Escolar Domingos Bebianos.
1910 – Rui Barbosa chega a Queluz em sua Campanha Civilista, e hospeda-se no hotel, por ele batizado de Haya, ainda hoje existente na Rua Marechal Floriano Peixoto.
1910 – Fundação do Guarani Esporte Clube, dia 07 de setembro.
1910 – É fundado o Clube Literário Lisboa.
1912 – É inaugurado o primeiro Coreto na cidade, na antiga travessia da Central do Brasil, próximo à Praça Getúlio Vargas.
1912 – Inaugurada o cinema São Geraldo, com o filme "A Mãe e a Morte".
1912 – Fundação do queluziano futebol Clube.
1913 – Sai o primeiro número do correio da Semana, que circulou aqui por mais de meio século, dirigido por Adolfo Albino.
1914 – Edificada a Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Bairro do Areal.
1915 – José Francisco de Albuquerque, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1915 – Fundada a Escola Meridional,no Bairro Morro da Mina.
1917 – Inauguração da Luz Elétrica em Queluz, pela Cia. Força e Luz de Queluz.
1917 – Falece no Rio de Janeiro o Conselheiro Lafayette Rodrigues Pereira.
1917 – Inaugurado o Cine Teatro Paz, na Rua Marechal Floriano Peixoto.
1918 – A cidade é contagiada pela grande epidemia, chamada "Gripe Espanhola".
1918 – Dr. Dolo de Paula Assis é eleito presidente da Câmara Municipal.
1919 – Fundado o Tiro de Guerra Queluziano nº405.
1919 – Cel. João Gomes Ferreira é eleito presidente da Câmara Municipal.
1919 – Começam a circular os primeiros automóveis em Queluz, distribuídos pela agencia de Cel. Camargos, patrono da Estação Rodoviária.
1919 – Inauguração do Cinema São José, de propriedade do Senhor Adolfo Albino de Almeida Cyrino.
1920 – Fundada a Liga Protetora dos Operários de Conselheiro Lafaiete.
1920 – Inauguração do Cinema Recreio, com o filme "Flor de Laranjeira".
1921 – O Grupo Plástico e Cia. Inaugura o Cine Max, na Rua Afonso Pena.
1922 – Organizada a Subliga Queluziana de Desportos Terrestres, a primeira Liga de esportes da cidade.
1922 – Criada a Associação dos Maços Católicos Queluzianos, cuja placa encontra-se afixada na porta da Igreja mariz de Nossa Senhora da Conceição.
1922 – Inaugurada a Empresa Telefônica Costa e Cia. (primeira na cidade)
1922 – É inaugurada a grande caixa de abastecimento de água, do alto de Santo Antônio.
1922 – Circula com grande admiração do povo, o primeiro ônibus nas ruas de Queluz.
1922 – Fundado o Meridional Esporte Clube.
1924 – Instalado o Ginásio Queluziano, o primeiro colégio masculino da cidade.
1924 – Fundada na cidade a Associação dos Escoteiros de Queluz de Minas.
1924 – Álvaro Zebral inaugura o Cine Central na Praça Tiradentes.
1924 – Inaugurado o Cine Avenida, na Rua Mal. Floriano Peixoto, onde hoje funciona o Cine Teatro D. Pedro II.
1925 – O Cel. José Corrêa de Figueiredo, é eleito presidente da Câmara Municipal.
1925 – Instalação da cidade da primeira agência bancária do Estado: o Banco de Crédito Real.
1926 – André Rodrigues instala a primeira Bomba de Gasolina na cidade, localizada na Praça Tiradentes.
1927 – Formatura da primeira turma da Escola de Escrituração Mercantil de Queluz.
1927 – Dr. Francisco Rodrigues Pereira Júnior é eleito presidente da Câmara municipal de conselheiro Lafaiete.

3ª Fase – de 1927 até 1990

1927 – É fundado o Clube Recreativo D. Pedro II.
1928 – Dr. José Narciso Teixeira de Queiroz é eleito presidente da Câmara Municipal.
1929 – Primeiro Calçamento a paralelepípedos da cidade, na antiga rua Tavares de melo, no trecho hoje denominado de Melo Viana.
1930 – Cel. José Corrêa de Figueiredo, é eleito prefeito municipal, o primeiro prefeito da cidade. Antes disto, o chefe do Executivo chamava-se Agente Municipal e acumulava também o cargo de presidente do Legislativo.
1930 – A cidade é invadida pelo 10º B. C de Ouro Preto durante a Revolução de 30.
1931 – Dr. José Bawden Teixeira é indicado como prefeito municipal.
1932 – Fundado o primeiro time de vôlei e basquete feminino na cidade.
1932 – Fundado o Clube Social Primavera, onde se ergue o Pedro II.
1932 – Criação da Associação Queluziana de Xadrez.
1934 – É trocado o nome de Queluz de Minas, para Conselheiro Lafaiete.
1934 – Dr. Mário Rodrigues Pereira é eleito prefeito, permanecendo todo o tempo na ditadura de Vargas.
1937 – Instalado o Cine Glória (sucessor do Max e do Rex), onde hoje está o Banco do Brasil.
1938 – É inaugurado o Carijós Voleibol Clube.
1938 – É instalado o antigo Ginásio Monsenhor Horta, na Rua Barão de Suassuí.
1938 – Fundado o Atletique Esporte Clube.
1940 – Inaugurado na Praça Tiradentes, no mês de abril, a Fonte Luminosa.
1941 – Fundada a Sociedade Beneficente de Auxílios Mútuos.
1942 – Criação do Aeroclube de Conselheiro Lafaiete.
1944 – Fundação do Atlanta Esporte Clube.
1944 – Fundação do social Olímpico Ferroviário.
1945 – Chega em Lafaiete o primeiro grupo de ex-combatentes, vindos da Itália.
1946 – Fundado o Flamengo Esporte Clube, no dia 03 de maio.
1947 – Dr. Antônio Bandeira Furtado de Mendonça, é nomeado interventor do município.
1947 – Dom Daniel Baeta Neves é sagrado Bispo Auxiliar de Parnasso.
1948 – Dr. José Narciso Teixeira de Queiroz, é eleito prefeito.
1948 – A Rádio Clube de Conselheiro Lafaiete vai ao ar pela primeira vez.
1951 – Criação da Corporação Musical Nossa Senhora das Graças.
1951 – Fundado o Lafaiete Sider Clube, então ligado à Companhia Siderúrgica Nacional. A primeira sede do Síder foi no prédio que faz a esquina das Ruas Marechal Floriano e Carlos Gomes e, depois, passou a funcionar onde hoje está instalada a Rádio Carijós.
1952 – Instalado o Colégio Inconfidência.
1953 – Inauguração do Bellavinha Piscina Clube.
1955 – Dr. José Narciso de Queiroz Neto é eleito prefeito municipal.
1957 – Inaugurada a primeira rodoviária na cidade, na Praça Getúlio Vargas.
1957 – Inauguração do Cine Regina, com filme "Melodia Imortal", no local onde está hoje a Itapuã Calçados.
1959 – O Cel. Telésforo Cândido de Resende é eleito prefeito.
1960 – Inauguração da Rádio Carijós.
1962 – Dr. Orlando Baeta é eleito prefeito municipal.
1967 – Inaugurada a primitiva rodoviária da Av. Telésforo C. de Resende, depois ampliada e reformada na gestão Vicente Faria.
1967 – Dr. Abel Rezende Dutra é eleito prefeito.
1968 – Aberta ao Público a Passagem Subterrânea, "Ouvídio Barbosa", ligando as partes alta e baixa da cidade, sob as linhas da ferrovia, onde ocorriam muitos acidentes com pedestres.
1970 – Criada a Bandeira e Brasão do município.
1970 – Aula inaugural da Faculdade de Direito de Conselheiro Lafaiete.
1971 – Dr. Hélio Pereira de Resende é eleito Prefeito.
1972 – Inaugurado o primeiro supermercado da cidade, o Super Comaz.
1972 – Inaugurada a Escola Estadual "Astor Viana, o antigo Ginásio Polivalente.
1973 – Dr. Camilo Prates dos Santos Júnior é eleito prefeito municipal.
1975 – Inauguração da Sede da Liga Municipal de Futebol.
1975 – Sagração do "Santuário Arquidiocesano Coração de Jesus", construído por Monselhor Hermenegildo.
1975 – Pedido de registro da Biblioteca – Museu Antônio Perdigão, no cartório Astor Viana no dia 12 de setembro. Inicialmente a sede do museu era na Rua Benjamin Constant, depois R. Assis Andrade e Afonso Pena, sendo que nestes três últimos endereços o museu sempre funcionou na própria residência de seu diretor e fundador.
1976 – Pedro Silva é eleito prefeito municipal.
1976 – Fundado o Moto Clube de Lafaiete, dia 15/11, que teve como primeiro presidente o Dr. Antônio Roberto P. Cazarões.
1976 – No dia 18 de fevereiro foi lançado a pedra fundamental da Açôminas.
1977 – Primeiro apresentação do Grupo de Teatro Raízes, no Cine Aventura, com a peça " O Crime e suas Mirongas", responsável pelo ressurgimento do teatro em Lafaiete.
1978 –Sai o primeiro número do Panorama, jornal lançado pelo professor Alberto Libânio Rodrigues, que circulou até 28 de janeiro de 1984.
1978 – É criada a lei que intitui a "Medalha Jean de La Salle", destinada a homenagear os professores.
1981 – Inuguração do Viaduto Duartina Nogueira de Rezende sobre as linhas da ferrovia, partindo da Praça Getúlio Vargas.
1981 – Inauguração do Cine Lafaiete, pelo Grupo Bonatto, de Barbacena.
1983 – Dr. Vicente Faria Paiva é eleito Prefeito.
1985 – Inauguração do Parque de Exposição "Presidente Tancredo Neves".
1985 – Inauguração do Cemintério Vale do Ipê.
1986 – Sai o primeiro número da Gazeta Mineira, 1ª jornal diário na cidade.
1987 – Inaugurada a estátua do Cristo Redentor no bairro Santa Efigênia.
1988 – Dr. Arnaldo Francisco Pena, é eleito prefeito.
1989 – Inaugurada a Escola São Francisco de Assis no bairro Linhazinha.
1989 – Inaugurada a creche municipal "Monsenhor Antônio José Ferreira, no Alto da Vista Alegre.
1990 – É elaborada a nova Lei Orgânica Municipal, onde se reconhece como oficial o dia 19 de setembro para as comemorações da Emancipação da cidade.

Ainda em fase de conclusão a partir desta data